UTFPR Idiomas

Caracterização do Problema

A inserção internacional acadêmica é uma demanda crescente no mundo globalizado. A cada dia, surgem novas parcerias em pesquisas, acordos entre universidades, intercâmbios tanto para discentes, como para docentes, além de uma redução entre as fronteiras do mundo do trabalho. Em sintonia com esse novo paradigma, o processo de internacionalização da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) foi muito bem delimitado durante o período de consulta pública na elaboração do Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI 2018-2022). A consulta possibilitou a observação de diversas demandas referentes à questão da inserção internacional. Tais demandas contribuíram na elaboração do PDI da UTFPR. Na sequência apresentamos algumas dela:    

  • Não basta uma simples importação ou exportação de preceitos acadêmicos, pois a Universidade deve estar preparada para as trocas em níveis cada vez mais profundos.
  • É urgente que tenhamos cadeias de disciplinas ministradas e avaliadas em línguas estrangeiras (pelo menos em inglês, francês, espanhol e alemão, uma vez que a universidade possui convênios com os países que falam essas línguas). Os professores devem, com relativa frequência, ser conduzidos a realizar cursos de línguas para ministrar suas disciplinas em línguas estrangeiras.
  • Internacionalização é troca entre as partes envolvidas, do contrário, é subserviência de uma parte em relação à outra.
  • Internamente precisamos, de acordo com o objetivo a ser atingido, definir programas de desenvolvimento profissional em áreas selecionadas considerando a demanda de cada campus. Assim, a UTFPR poderá realizar, em futuro próximo, transações comerciais, diplomáticas, culturais, científicas, tecnológicas, dentre outras, com outros países.
  • É necessário, também, que a construção da internacionalização da Universidade considere a formação de nossos acadêmicos, bem como as oportunidades de que estrangeiros venham para nossa instituição.
  • •           A UTFPR deve remodelar sua estrutura acadêmica/curricular para formar o profissional para o mundo e, não somente, para as localidades em que atua. Ressaltamos que a diplomação é importante, mas pode ser, também, limitada e limitante. Nesse sentido, temos que formar profissionais mais preparados para o mundo.
  • É necessário, além das questões técnico-acadêmicas, que o futuro profissional conheça a história e a cultura de diferentes países com o objetivo de trocar conhecimentos científicos e tecnológicos.
  • A internacionalização da Universidade deve permitir o compartilhamento de experiências que venham auxiliar na reestruturação dos nossos currículos e, assim, propiciar aos alunos condições necessárias para que atuem em um mundo competitivo.

Para que qualquer ação em prol da internacionalização da universidade seja bem-sucedida é preciso, primeiramente, que toda comunidade acadêmica, servidores, docentes e alunos tenham a oportunidade de aprender línguas estrangeiras (LE) de forma ampla e em todos os níveis de proficiência. Assim, o processo de inserção da universidade no âmbito internacional requer que a instituição invista em um centro de línguas forte e abrangente para que um maior número de servidores e alunos sejam atendidos.

A oferta de cursos de línguas estrangeiras na UTFPR hoje é limitada por diversas razões, como a carência de vagas para contratação de docentes para o ensino de LE. Outra razão elencada é que os docentes de LE da UTFPR têm dentre suas funções atividades de pesquisa, de ensino e de extensão, não se dedicando exclusiva, ou prioritariamente, ao ensino de idiomas. Esse cenário vem evoluindo de tal forma que hoje menos de 1.500 alunos estudam LE nos cursos de idiomas ofertados pelos Centros Acadêmicos de Línguas Estrangeiras Modernas (CALEM) da UTFPR. Além disso, o leque de ofertas de cursos de LE se limita aos cursos de inglês, francês, espanhol e alemão, do nível básico ao pré-intermediário, sendo que apenas algumas turmas em alguns campi, ministram aulas em níveis avançados.

Dessa forma, o Projeto de Extensão UTFPR Idiomas visa a promover o aprendizado de LE na UTFPR, trata-se de uma ação que busca ampliar e, por conseguinte, democratizar o ensino de LE aos discentes e servidores da Instituição.

Com o objetivo de minimizar o problema da falta de professores e vagas em cursos de LE para a comunidade acadêmica, foi concebido o PE UTFPR Idiomas, o qual será executado através de um acordo de cooperação com a sua fundação de apoio à UTFPR, a FUNTEF-PR. A finalidade única e exclusiva deste Projeto é promover a oferta de cursos de LE a toda comunidade acadêmica da UTFPR. Assim, os servidores poderão ampliar suas redes para pesquisas, intercâmbios e congressos internacionais e os alunos poderão realizar intercâmbios, ocupando posições de destaque no mercado mundial. Enfatizamos que a oferta de ensino de LE aos servidores e alunos é fundamental para o sucesso de qualquer processo de inserção internacional. O ensino de LE é um dos principais meios para que a UTFPR venha alcançar uma posição de destaque no Brasil e no mundo.